Categoria "Imprensa Tupiniquim"

30 de setembro de 2021

Oficialmente porto-velhense

Por José Carlos Sá

Porto Velho tem um novo cidadão honorário: Rosinaldo Machado, que foi adotado como porto-velhense há 42 anos (Foto Acervo particular Rosinaldo Machado/Autor desconhecido)

26 de setembro de 2021

Disco voador

Por José Carlos Sá

Irmãs veem luzes flutuando sobre a rua e, anos depois, tatuam um disco voador na pele

12 de setembro de 2021

Cruzando palavras

Por José Carlos Sá

Além de passatempo é uma forma de manter o cérebro ativo

14 de agosto de 2021

Destinos entrelaçados

Por José Carlos Sá

Dois ex-deputados federais foram presos no mesmo dia, mas por motivos diferentes. Faço votos que a depuração continue

07 de agosto de 2021

Tabus e pés de frango

Por José Carlos Sá

Enquanto em uma música são oferecidos pés de frango à amada, eu não como a iguaria por razões de crendices

18 de julho de 2021

É cada uma…

Por José Carlos Sá

As desculpas mais deslavadas, que desafiam nossa inteligência

16 de julho de 2021

Eu e minha boca grande

Por José Carlos Sá

A sabedoria popular tem dois ensinamentos que não podem ser esquecidos e desprezados: “religião e política não se discute” e “o peixe morre pela boca”. E eu fui fisgado para discutir política em um carro de aplicativo

03 de julho de 2021

Paradoxo do contraditório*

Por José Carlos Sá

Candidato à reeleição como presidente de Conselho tem a empresa irregular junto à entidade; a unidade militar considerada a mais violenta do Amazonas tem o nome de um pacifista

19 de junho de 2021

O maníaco da Copasa

Por José Carlos Sá

Homem com problemas mentais é espancado e mata o agressor, primeiro crime de uma série atribuídos a ele

09 de junho de 2021

Deu no jornal

Por José Carlos Sá

Galo canta fora de hora e é recolhido pela polícia

12 de abril de 2021

Meu tio o Iauaretê – O que li no confinamento

Por José Carlos Sá

Guimarães Rosa escreveu um conto que é um monólogo/diálogo, em que um dos personagens não aparece e o narrador fala na primeira pessoa, se expressando ora em português, ora em tupi-guarani, já que era filho de um não-índio com uma descendente de indígenas

05 de março de 2021

Cemitérios fictícios

Por José Carlos Sá

Dois livros de ficção, da literatura brasileira, tinham como cenário cemitérios e falavam da situação do país naquele momento (Foto: Atores representam o protesto dos mortos, descrito em Incidente em Antares, no centro de Porto Alegre