Tag "Teófilo Otoni"

24 de dezembro de 2020

A árvore de natal

Por José Carlos Sá

Mãe iniciou a tradição da montagem da árvore de natal a meu pedido, há 62 anos

31 de julho de 2020

O rebuçado

Por José Carlos Sá

Na língua portuguesa, como em outras, as palavras são vivas. Elas Desaparecem e são substituídas por outras. De vez em quando uma antiga vêm à mente

27 de julho de 2020

Carlos Lacerda, o Corvo

Por José Carlos Sá

Carlos Lacerda foi principal opositor do governo Kubitschek e ganhou a inimizade da minha família

27 de abril de 2020

Palavras e crendices

Por José Carlos Sá

No meu tempo de menino havia palavras que não podiam ser ditas. Também havia crendices de todo tipo

12 de abril de 2020

Espremendo o coelho

Por José Carlos Sá

Tínhamos ovos de páscoa coloridos com tinta de caneta ou papel crepom

23 de novembro de 2019

Caderno perdido

Por José Carlos Sá

Quando éramos crianças mãe escrevia um recado na contracapa dos caderno, caso o objeto fosse perdido

14 de setembro de 2019

Inspirando a avó

Por José Carlos Sá

Minha avó aprendeu a ler e a escrever já adulta, por inspiração do neto

31 de março de 2019

Há 55 anos

Por José Carlos Sá

O que me lembro do dia 31 de março de 1964

18 de abril de 2018

Causos mineiros

Por José Carlos Sá

Um livro com pedaços de Minas Gerais em forma de palavras.

13 de outubro de 2015

Já fui criança, quem diria?

Por José Carlos Sá

Participei, a convite do Lúcio Albuquerque, de um projeto do jornal Alto Madeira, onde cinco jornalistas escreveram sobre suas infâncias, respondendo à pergunta “Como era ser criança quando você era criança?”

21 de abril de 2015

PARABÉNS BRASÍLIAS

Por José Carlos Sá

Vou me apropriar de dois bordões que os coleguinhas costumam usar nestas ocasiões: “Hoje é aniversário de Brasília, mas quem ganha o presente é você!” e “Hoje é o dia de inauguração de Brasília, mas há muito pouco a comemorar.” Desde a primeira vez que desembarquei em Brasília, tenho duas sensações: a do déjà-vu e a da […]

01 de abril de 2015

1° DE ABRIL: UM PAÍS DA VERDADE (#SQN)

Por José Carlos Sá

Quando eu era criança pequena lá em Teófilo Otoni, o dia primeiro de abril era a ocasião de fazer “pegadinhas” (não tinha este nome) com os irmãos, coleguinhas e adultos. Era a oportunidade de elaborar boas histórias, segurar a atenção e, no ápice, gritar: “Primeiro de abril, te peguei!” Ou, quando mais jovem ainda: “Primeiro […]

21 de março de 2015

JOÃO E MARIA? NÃO. JOCIONE E MÁRCIO

Por José Carlos Sá

Quando eu era criança pequena, em Teófilo Otoni, ouvi muito a história de João e Maria, contada por minha mãe, pelas avós e pela babá da minha irmã. Depois, alfabetizado, li na coleção “As Mais Belas Histórias”. (Ilustra Carl Offerdinger/1927) A trama era a mesma escrita pelos Irmãos Grimm, com poucas adaptações: um casal de […]

19 de novembro de 2014

DIA DE BANDEIRA

Por José Carlos Sá

Comemorado hoje, 19 de novembro, o “Dia da Bandeira”, data que relembra fatos ocorridos há 125 anos, na jovem República dos “Estados Unidos do Brasil”, proclamada alguns dias antes. Quando eu era criança pequena, lá em Teóflotoni, nesta data cantávamos o Hino à Bandeira, segurando bandeirinhas que nós mesmos desenhávamos, coloríamos, recortávamos e colávamos em […]

07 de outubro de 2014

ROUBANDO GALINHAS

Por José Carlos Sá

Quando eu era criança pequena, em Tiofotoni, quando queriam desqualificar uma pessoa a chamavam de “ladrão de galinhas”. Era o ramo mais baixo do submundo do crime e o meliante que era pego praticando essa atividade, apanhava muito da polícia. Talvez para ser mais ousado e passar a furtar residências ou mesmo bancos. Na sexta-feira […]

27 de maio de 2014

MEDOS E MEDOS

Por José Carlos Sá

Ao ler a crônica “Quarto Escuro“, do amigo Samuel Castiel, lembrei que não passei pela experiência que ele narra. Não por que não faltasse energia em Teófilo Otoni, mas porque, Cida, Paito e eu, em momentos de apagão, grudávamos na saia da d. Nilta e não largávamos por nada. Se ela tinha que ir buscar […]

28 de março de 2014

O QUE EU ME LEMBRO

Por José Carlos Sá

No dia 1º de abril de 1964, eu tinha oito anos e já estava com o uniforme do Grupo Escolar, pronto para ir para a aula. Meu padrinho, que era comandante do destacamento da Polícia Militar, chegou para tomar café na casa da minha avó e ao me ver uniformizado disse para eu não sair […]

07 de fevereiro de 2014

“PERDIDOS” E “ACHADOS”

Por José Carlos Sá

Para entender as aspas no título, vou contar a história. Estávamos na praia do Mutá, em Porto Seguro e, em poucos minutos ganhamos cds do Luan Santana e dessa dupla, Mateus Ferraz e Vitória, que eu não conheço. Armando chuva, pedi ao garçom para irmos para a parte coberta. O JP “esqueceu” o cd que […]