07 de novembro de 2021

Batismo de fogo

Por José Carlos Sá

Historiador Adílcio Candorin será homenageado em Imbituba (Foto Culturanita/Divulgação)

Nesta segunda-feira (8/11) serão encerradas as comemorações do bicentenário de nascimento de Anita Garibaldi com uma homenagem, pelo município de Imbituba (localizado a 96 quilômetros de Florianópolis), ao escritor, historiador e ex-prefeito Adílcio Candorin, considerado um dos maiores conhecedores da biografia de Anita Garibaldi. Imbituba foi o local onde Anita participou do seu primeiro combate, em 4 de novembro de 1839, quando lutava na Revolução Farroupilha.

Mosaico em homenagem à Anita Garibaldi (Foto JCarlos)

Na semana passada a prefeitura de Imbituba inaugurou um mosaico, de autoria da artista plástica Lis Panek, em homenagem a Anita Garibaldi. No local, Mirante da Vila Nova, já há o “Monumento Batalha Naval de Imbituba”, com o busto em bronze e duas reproduções de canhões, instalados em 2019, no aniversário de 180 anos do batismo de fogo da mulher do revolucionário italiano Giuseppe Garibaldi.

Monumento à Batalha Naval de Imbituba (Foto JCarlos)

Rosa híbrida desenvolvida na Itália e plantada pela bisneta de Anita Garibaldi (Foto JCarlos)

Ainda na cidade, há um exemplar da “Rosa de Anita”, uma flor híbrida criada pelo botânico italiano Giulio Pantoli e desenvolvida em parceria com o Museo Renzi, com o Instituto Técnico Garibaldi Da Vinci e o Governo da Emília Romagna na Itália, e o Instituto Anita Garibaldi (CulturAnita) de Laguna (SC). A muda foi plantada pela bisneta de Anita e Giuseppe Garibaldi, a italiana Annita Garibaldi, no ano passado, como parte do bicentenário de nascimento da “heroína de dois mundos”.

História

Enseada de Imbituba onde teria ocorrido a batalha naval em novembro de 1839 (Foto Marcela Ximenes)

Diz-que na manhã de 4 de novembro de 1839 a Armada Imperial enviou três de seus navios para a enseada de Imbituba, atual Praia da Vila, onde estavam ancorados as embarcações revolucionárias Rio Pardo e Seival. A esquadra abriu fogo imediatamente ao ver o inimigo e Anita teria se postado junto com os atiradores armada de um fuzil. Em sua biografia Garibaldi conta ter ordenado a Anita que ela se escondesse no porão. Ela obedeceu e retornou de lá após ter expulsado os soldados que estavam escondidos para fugir da batalha, que foi vencida pelos farroupilhas.

O episódio ficou marcado como o batismo de fogo da recém engajada nas tropas revolucionárias, que proclamaram a brevíssima República Juliana (24 de julho a 15 de novembro de 1839).

Visitamos o local ontem, um sábado com nuvens carrancudas, que ameaçavam baixar chuva a qualquer momento.

Tags

Anita Garibaldi Giuseppe Garibaldi Imbituba República Juliana Revolução Farroupilha 

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*