12 de agosto de 2020

Cada um no seu quadrado

Por José Carlos Sá

Na hora de dividir a culpa pelo aumento do contágio do coronavírus e das mortes pela Covid-19, todos têm que assumir a sua parcela de responsabilidade. A desinformação e a falta de sincronia entre as autoridades também deve ser apontada como a causa das mais de 100 mil mortes no Brasil (hoje, 12/08, 103.099, às 6h38).

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcello Crivella, não está nem aí para a pandemia. “Flexibilizou” o isolamento social e permitiu a abertura de shoppings, templos, serviços e mercados populares. Com tanta flexibilização, o carioca lotou as praias e os calçadões nos dias ensolarados. Em Florianópolis, o prefeito Jean Loureiro tenta manter o mínimo de atividades comerciais abertas e a ida à praia está terminantemente proibida.

Com a casa arrombada, a Prefeitura do Rio de Janeiro anuncia que vai delimitar espaços nas praia, onde os frequentadores poderão tomar sol e ficar isolados dos demais. Estão chamando a esta marcação “Cada um no seu quadrado”, funk da cantora Sharon Acioly, lançado em 2007 e que teve seus 15 minutos de sucesso.

Abaixo, algumas iniciativas para o isolamento social nas praias:

Praia La Grande-Motte, costa mediterrânea francesa (Foto reprodução)

Proposta da empresa italiana Nuova Neon (Ilustra Nuova Neon)

Proposta do Manézinho da Ilha (Charge Ricardo Manhães)