23 de setembro de 2015

O vulto

Por José Carlos Sá

Reproduzo abaixo a história de Aline Rocha, publicada através do Facebook. Muito boa:

Aquele DESESPERO que bate quando se está caminhando SOZINHA, as DEZ HORAS DA NOITE, por uma RUA DESERTA e vê um homem atrás do poste.

Minhas reações:
1) primeiro, eu reduzo a velocidade do passo, para dar tempo do cara acabar de mijar;

2) depois, deduzo que ele não está mijando, já que está olhando imóvel na minha direção;

3) penso na hipótese de ser um assaltante “já era! vou ter que desenrolar pra não perder”. Afinal, carioca não reage a assalto, carioca vê se tem desenrolo;

(enquanto cada vez chego mais perto)

4) chego a uns 5 metros, descarto todos os pensamentos anteriores e admito a certeza que é uma assombração (!) já que está todo de branco e sorrindo na minha direção
(Fu***, porque com assombração não tem desenrolo)

5) mais ou menos uns 2 metros do tal “mijão-assaltante-assombração”, percebo que é SÓ (e somente só) um poster do Felipe Massa, tamanho real.

Massa no poste (Foto Aline Rocha)

Massa no poste (Foto Aline Rocha)

(Obrigado, Mar)

Tags

Aline Rocha Facebook Felipe Massa Medo Rio de Janeiro 

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*