20 de julho de 2021

Parado no tempo

Por José Carlos Sá

Em 1950 os moradores da pacata localidade de Taquaras, município de Rancho Queimado (a cerca de 70 quilômetros de Florianópolis) imaginaram que a tão sonhada BR-282, que estava em construção naquela década, passaria pelo povoado. O empresário Teófilo Schütz – com a perspectiva de ver a estrada que ligava o estado de leste a oeste cortando a vila -, resolveu substituir a sua bomba manual de combustíveis por um equipamento mais moderno, visando o fluxo de veículos que viria. Schütz também construiu um hotel ao lado do posto de gasolina para hospedar os viajantes e caminhoneiros que trafegariam na nova rodovia federal.

Auto posto Teófilo Schütz foi inaugurado em 1959, esperando que a BR-282 passasse por ali, o que não aconteceu (Foto JCarlos)

Um contrato foi assinado com a empresa norte-americana Texas Company, que forneceu o leiaute do prédio, projetado pelo arquiteto Walter Teague e adotado em todo mundo onde a Texaco tinha franquias (naquele tempo não tinha este nome), foi inaugurado em 1959 e era o posto de serviços mais moderno de Santa Catarina. O auto posto e o hotel tiveram seus anos de glória enquanto a rodovia era construída, caminhões – principalmente carregados com madeira – com destino ao litoral ali paravam para reabastecimento ou reparos, além do descanso dos motoristas.

A decadência do posto Schütz começou em 1986 quando o trecho da rodovia entre Rancho Queimado e Bom Retiro, na Serra da Boa Vista, ficou pronto. A BR-282 ficou locada a  apenas pouco mais de sete quilômetros dali, absorvendo todo o movimento de carros, ônibus e caminhões.

Hoje o posto é mais uma atração turística da região, que tem ainda a casa de campo do governador Hercílio Luz (*1860 +1924), transformada em museu, a colheita de morango, a fábrica de chocolate, e o turismo rural que inclui os atrativos naturais, como a cachoeira Trisãmya no rio Taquaras.