22 de abril de 2021

Paixão e morte de Tancredo Neves

Por José Carlos Sá

A última imagem de Tancredo Neves com vida (Foto Gervásio Batista)

Há 36 anos, no dia 21 de abril, o Brasil era comunicado – o que já era aguardado – da morte do presidente eleito Tancredo Neves. Foram dias de sofrimento. Tancredo foi internado em um hospital de Brasília na véspera de tomar posse. Foi submetido a uma cirurgia para a retirada de uma diverticulite e o caso foi se agravando e ele foi transferido para São Paulo. Com a cobertura da Imprensa 24 horas, houve uma comoção nacional que aumentou com o anúncio do falecimento.

Na Rádio Guarani, onde trabalhava à época, protestamos por que o nosso diretor Assad Almeida não autorizou a viagem de um jornalista para cobrir a posse do Tancredo, que afinal, era nosso conterrâneo. No dia 15 de março ficamos sabendo que Tancredo fora internado e havia o impasse se o vice-presidente José Sarney tomaria posse. Assad entrou na redação sorrindo e disse mais ou menos assim: – Viram? Não teve posse!  Praticamente todo mundo começou a falar se ele não via o que era notícia e que as coisas estavam acontecendo em Brasília. Ele ficou sem graça e alguns dias depois a colega Maria Líbia foi mandada para Brasília.

A minha função, além de editar o Jornal da Manhã, era gravar em uma única fita todos os boletins dos nossos repórteres e do Antônio Britto, porta-voz da Presidência. Quando Tancredo foi transferido para São Paulo, a cobertura ficou a cargo do Alexandre (infelizmente não me recordo o sobrenome). Fui colecionando os boletins e depois do anúncio da morte de Tancredo, durante a  noite de 21 de abril, fomos colocando no ar as gravações, como um macabro obituário.

Praticamente toda a redação foi trabalhar naquela noite. Os apresentadores intercalavam entrevistas com políticos e a reprodução da fita. Eu fiquei encarregado de localizar os entrevistados e as principais autoridades estavam no velório do prefeito de Betim (Grande BH), Newton Amaral Franco, que também faleceu naquele 21 de abril. Ficou mais fácil.

Saí da rádio às oito horas da manhã. Fui para casa dormir um pouco, pois o trabalho só estava começando.