15 de fevereiro de 2021

Invasão espanhola

Por José Carlos Sá

A Fortaleza de São José da Ponta Grossa foi a primeira guarnição a se render. Nem espanhóis, nem portugueses, deram um tiro (Foto JCarlos)

Os canhões dos portugueses eram de curto alcance – Fortaleza de São José da Ponta Grossa (Foto JCarlos)

Em um 15 de fevereiro há 244 anos, uma tropa com dez mil homens, divididos em 97 navios mercantes, mais 20 navios de guerra e 670 canhões, lançaram âncoras no norte da Ilha de Santa Catarina, no atual bairro de Canavieiras. Era o preparativo para a invasão espanhola.

O desembarque foi feito alguns dias depois, mas só a notícia do tamanho da frota foi suficiente para que autoridades civis e militares fugissem para o continente. Os populares que puderam também deixaram suas casas e a Vila de N. S. do Desterro ficou abandonada.

Linha de defesa da Ilha de Santa Catarina (Fonte Angelita Wittmann/Reprodução)

Com esta estratégia de invadir a ilha pelo norte, os espanhóis evitaram a linha de defesa instalada na Ilha de Santa Catarina, Ilha de Anhatomirim e na ilha de Ratones. O que os invasores não sabiam é que os canhões portugueses não tinham poder de fogo e eram de curto alcance.

Os espanhóis ficaram na ilha até 1778, quando foi assinado o Tratado de Santo Ildefonso, com Portugal recebendo terras invadidas pela Espanha e cedendo outros territórios aos espanhóis.