22 de novembro de 2020

O escultor do improvável

Por José Carlos Sá

Batendo pernas pelas ruas da cidade do Serro, conhecendo as igrejas centenárias, deparei com uma oficina de um artista plástico, ao lado da igreja de Nossa Senhora do Rosário, concluída em 1758, pela Irmandade do Rosário dos Homens Pretos.

Voltando ao escultor. Achei o trabalho dele diferente e chegando aqui, fui pesquisar quem era o escultor. No blog Guia do Serro encontrei o Zé Dias, que ganha a vida fazendo panelas, pias e esculturas em pedra sabão. Há uma declaração atribuída a ele: “Faço coisas anormais, porque as normais para mim são simples, fúteis e fáceis de fazer”.

E são anormais mesmo:

“Burrocrata Real”, em close (Foto JCarlos)

O “Burrocrata” completo (Foto JCarlos)

“Santíssima Trindade” (Foto JCarlos)

Me deu agonia ao olhar para esta escultura (Foto JCarlos)

Tags

Artes Plásticas Minas Gerais Serro Zé Dias 

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*