15 de novembro de 2020

Os “comunistas” da Primeira República

Por José Carlos Sá

O povo não participou da derrubada de D. Pedro II do trono (Pintura de Benedito Calixto)

Em qualquer época na história da humanidade, uma etnia ou grupo de pensamento afim é escolhido como bode expiatório, sendo perseguindo pelo líder político/militar, por representar “perigo” para o sistema.

Cito exemplos de memória: os intelectuais e quem não pertencia ao partido de Lenin e Stalin; judeus e ciganos (entre outros) sob o III Reich, de Hitler; e outros inúmeros casos em todo mundo.

Quando a República foi proclamada em 1889, por um grupo de militares, quem se opunha ao que está sendo denominado agora de “golpe,” era considerado “monarquista” e passava pelo fio da espada ou era fuzilado. Estes supostos opositores eram os “comunistas” de hoje.

Tags

Adolf Hitler D. Pedro II Lenin Proclamação da República Stalin 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*