13 de novembro de 2020

“Como assim, açaí de juçara?”

Por José Carlos Sá

Pomar de palmeira juçara em São Pedro de Alcântara, na Grande Florianópolis (Foto Epagri/divulgação)

A Marcela, beradera que defende, intransigente, as tradições ribeirinhas e amazônicas, veio me dizer indignada:

– A Epagri (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina) está fazendo pesquisa para usar a palmeira juçara para fazer açaí! Como assim, açaí de juçara? O palmito da juçara já é ruim ‘quissó’!”

– Onde você viu essa notícia? Perguntei.

– Vi no Twitter e nem abri. Fiquei chateada, ó!

Fui procurar a notícia. Os pesquisadores da Epagri entendem que a juçara (Euterpe edulis Martius), muito presente na Mata Atlântica catarinense é ‘parente’ do açaí (Euterpe oleracea) da Floresta  Amazônica. Para impedir a extinção da palmeira para extração do palmito, sugerem a colheita do fruto para a confecção do vinho do açaí.

Não sei se ‘cola’. A Marcela torceu o nariz.

Tags

Epagri Floresta Amazônica Juçara Marcela Ximenes Mata Atlântica 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*