27 de outubro de 2020

O Jotacê errado

Por José Carlos Sá

JC, da Hora do Boi (Foto retirada do artigo do jornalista Marcos Paulo – https://bit.ly/3jr7A3y / Overmundo)

Acompanhei o vice-governador Orestes Muniz a uma viagem de trabalho em Guajará-Mirim. Estava junto o ajudante de ordens, então capitão José Olívio de Jesus Araújo. Desde a campanha eleitoral que elegeu Jerônimo Santana e Orestes, o Olívio me chamava de Jotacê.

Ficamos sentados esperando o final de uma reunião e o Olívio falava Jotacê pra cá, Jotacê pra lá. Uma pessoa  que estava próxima me disse:

– Seu Jotacê, gosto muito do seu programa, toda vez que vou a Porto Velho escuto o senhor.

Eu agradeci, mas não sabia do que se tratava. No retorno é que descobri que o homem se referia ao radialista JC (João Carlos), apresentador do irreverente programa “A hora do boi”, que tinha um bordão quando alguém ligava para o estúdio, ele dizia “Tem boi na linha!”

Quando eu conheci o JC pessoalmente contei sobre o fã de Guajará-Mirim e ele ficou muito satisfeito.