26 de outubro de 2020

Darcy Ribeiro – Um grande brasileiro

Por José Carlos Sá

Capa do meu livro bem surradinha (Foto JCarlos)

Hoje, 26/10, é lembrado o nascimento do antropólogo, romancista e professor Darcy Ribeiro (1922/1997), que deixou uma extensa obra, não só literária, como de ações. Vou enumerar algumas: participou da fundação da UnB (Universidade de Brasília), foi o mentor dos CIEPs (Centros Integrados de Educação Pública), no governo Brizola, de quem Darcy foi vice-governador, foi Senador e, nesta condição, lutou pela reforma do ensino brasileiro, participando da LDB (Lei de Diretrizes Básicas).

Darcy ainda trabalhou no SPI (Serviço de Proteção aos Índios) e junto com os Irmãos Villas-Boas foi um dos responsáveis pela implantação do Parque Indígena do Xingu. Foi companhia das últimas horas do Marechal Rondon e leu a carta de despedida de Rondon aos índios.

Dedicatória da Raquel de Mattos, quando fui definitivamente para Rondônia (Foto JCarlos)

Li vários livros de Darcy Ribeiro, entre eles “O povo brasileiro”, que mostra a nossa diversidade e ao mesmo tempo uma unidade. Mas o livro de que não largo é “Maíra” – Civilização Brasileira/1983. O meu volume é da 6ª edição e me foi presenteado pela minha ex-editora Raquel Mattos, com quem tive o prazer de trabalha e aprender na TV Alterosa, de Belo Horizonte. Fui em abril de 1986 para Porto Velho – e gostei – e voltei em Beagá para pedir demissão. A Raquel saiu, comprou o livro e fez a dedicatória. A publicação me acompanhou a Rondônia, a Brasília e agora está comigo em Santa Catarina.

O livro significa muito para mim, não só pelo Darcy, como pela Raquel. Obrigado aos dois.

Tags

Darcy Ribeiro Irmãos Villas-Bôas Marechal Rondon Raquel Mattos TV Alterosa 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*