22 de outubro de 2020

Saindo pela porta errada

Por José Carlos Sá

Edson Mubrabe (esq.) na primeira audiência com o governador Ângelo Angelin (Foto Decom/Acervo Ivo Feitosa)

No governo Ângelo Angelin (85/87) foi criado o IEF – Instituto Estadual de Florestas – e o engenheiro florestal Édson Mugrabe foi nomeado presidente.

 

Ao fim da audiência com o Mugrabe, o governador tocou a campainha que era o sinal para que o ajudante de ordens acompanhasse o visitante e trouxesse o próximo agendado.

 

O Ajudante de Ordens, o saudoso coronel Roberto Vieira – então tenente – entrou no gabinete na conclusão da primeira audiência do Édson e não o encontrou. O governador apontou com o dedo para uma porta.

 

É que o presidente do IEF ficou nervoso e, ao invés de se dirigir à porta de saída, entrou no banheiro do gabinete do góvi e não conseguia sair de lá. O banheiro estava escuro e Mugrabe ficou meio desorientado. O coronel Vieira contava essa história se divertindo.