21 de outubro de 2020

O astrólogo (#SQN)

Por José Carlos Sá

Os doze signos do Zodíaco

Muita gente consulta o horóscopo antes de fazer qualquer coisa, outros acreditam nas características comuns àqueles que nascem sob o mesmo signo.

Na casa da minha avó, apesar de serem católicos apostólicos romanos, ouviam diariamente o programa “Bom dia, mas bom dia mesmo”, do Omar Cardoso – considerado o maior astrólogo do Brasil. A minha avó dizia que era do signo de Leão, pois a palavra “câncer” não era pronunciada na casa e aquele era o verdadeiro signo dela, nascida no início do mês de julho.

Eu ainda era “foca”, há poucos meses trabalhando na Rádio Itatiaia de Belo Horizonte, quando fui escalado para substituir a colega Cidinha, que apresentava o horóscopo diariamente. Fui encarregado de escrever as previsões diárias, sendo que eu não sei nem qual é a ordem dos signos no Zodíaco.

Preocupado em como eu ia fazer, o meu chefe sugeriu que eu fizesse primeiro a lista dos signos e escrevesse coisas gerais. Nessa época eu não conhecia Paulo Coelho, mas escrevia no estilo dele. Um exemplo: “Você de Capricórnio, comece o dia com bons pensamentos e você verá que tudo vai dar certo!” Ou: “Você de Leão, aposte no bom humor, sorria até para quem você não conhece”.

Passei um mês assim.

Tags

Belo Horizonte Omar Cardoso Rádio Itatiaia Zodíaco 

Compartilhar

Comentários

  • Lúcio Albuquerque disse:

    Em 1976 quando saiu “A Tribuna”, do diretor Rochilmer, não tínhamos telex – só um ano depois – teletipo etc. Fiz muitos horóscopos e o mais interessante é que, principalmente, mulheres diziam ao diretor Rochilmer que era muito bom porque sempre dava certo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*