19 de outubro de 2020

O barreiro

Por José Carlos Sá

Em uma das vezes que estive no Lago do Cuniã foi pela Seduc (Secretaria de Estado da Educação) para a entrega do equipamento e material de apoio do Telecurso 2000. Pernoitamos lá e à noite fizeram uma festa para nós.

Uma anta e uma paca lambem sal no barreiro (Imagens José Maria Mielnik)

Eu notei que havia um grupo de jovens – uns quatro ou cinco – conversando um pouco afastados. De tempos em tempos um deles ia a algum lugar e retornava minutos depois. Quando esse primeiro voltava outro jovem repetia o ato e assim por diante.

Achei estranho. Não podia ser para fazer xixi, pois ninguém estava bebendo cerveja. Perguntei a um professor (cujo nome não me lembro), que também havia nascido na região ribeirinha, qual a razão daquele comportamento dos jovens.

– Eles estão indo ao barreiro…

– Não entendi…

– Os bichos vão ao barreiro lamber sal… Esses jovens devem ter escondido uma garrafa de bebida e vão lá dar uma bicada. Os demais ficam vigiando para que outro grupo não descubra onde é o barreiro deles e roubem a bebida!

– Ah!

Tags

Barreiro Lago do Cuniã Telecurso 2000 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*