08 de setembro de 2020

Estilo eclético

Por José Carlos Sá

Cantores e grupos citados neste texto (Mosaico JCarlos)

Durante as aulas de Pilates, o radinho da professora fica sintonizado na Itapema, emissora de Florianópolis que também ouço quando não estou ouvindo notícias. Às vezes, quando toca alguma música de que eu gosto, faço um comentário sobre a composição.

Na sexta-feira, a professora Bruna perguntou: “Seu José, qual o seu estilo musical?” Eu ia responder “não sei”, mas disse: “Eclético”. Ao voltar para casa fiquei pensando nesse meu “ecletismo”.

Na nossa casa em Teófilo Otoni havia os discos do Trio Irakitan e dos Demônios da Garoa (não me lembro se havia outros); na casa dos avós maternos, os LPs de Jackson do Pandeiro e do Teixeirinha. Minha tia tinha discos de twist e chá-chá-chá. Lembro-me de um chamado “Se meu apartamento falasse”, mas não me recordo do estilo da trilha sonora do filme homônimo. Nas avós paternas, Emilinha Borba era quem reinava, mas através do rádio.

Nessa época surgiram os Beatles e o Iê-iê-iê, me apontando o caminho do rock, a que eu chegaria só muitos anos depois.

Já em Belo Horizonte, pai comprou a coleção Nova História da Música Popular Brasileira, que tinha de tudo, de Ataulfo Alves a Caetano Veloso; de Pixinguinha a Chico Buarque. Eram 47 discos. Alguns nunca ouvi e outros quase furei o vinil.

Passei a uma fase de ouvir rádio e o meu irmão Paíto indicou-me a Rádio Cultura de Belo Horizonte. Uma programação diferenciada. Até hoje não sei como faziam. Nas tardes de sábado, tínhamos programas que tocavam rock europeu e norte-americano (descoberta do Led Zeppelin, Alice Cooper, Pink Floyd, America, Guess Who). Também tinha country, nos diversos subestilos, representados aqui por Johnny Cash e Bob Dylan.

Nessa fase também acompanhei as carreiras de Milton Nascimento, Chico Buarque, Alceu Valença, Luiz Melodia, Gal Costa, entre muitos outros.

Em Porto Velho houve outra mudança. As rádios tinham pequenas diferenças entre suas programações musicais. Conheci o “Boi” amazonense; bregas em suas mais variadas nuances; o forró, também de estilos variados e a música beradeira.

Ouço uma variedade de estilos musicais sem (quase) fazer careta. Isso é ser eclético, não é?

Tags

MPB Música Pilates Rock'n roll 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*