21 de agosto de 2020

Agenda secreta

Por José Carlos Sá

Os governantes devem divulgar suas agendas oficiais (Ilustra Jornal Interativo)

Há alguns dias o jornal Notícias do Dia informou que a assessoria do governador de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), não divulga a agenda oficial dele. O autor defende que, além de quem é recebido em audiência, seja disponibilizado, também, o assunto que foi tratado. Acho uma coisa mais ou menos utópica, mas trata-se de um exercício de transparência da autoridade que foi escolhido para governar o Estado.

Em 1986, quando cheguei a Rondônia, a chefia de gabinete do governador Ângelo Angelin não divulgava a agenda oficial. Era comum ligarem para o Departamento de Comunicação e falar assim: “Precisamos de um repórter e um fotógrafo no gabinete”. E os dois iam sem saber o que iriam fazer e ficavam sabendo na hora.

Insisti tanto que o Decom e o Cerimonial passaram a receber a agenda na véspera e ficou mais fácil para preparar a pauta e ter uma cobertura mais eficaz dos atos do governador. Hoje, antecipar a agenda é uma coisa corriqueira, mas nem todos pensam assim.