24 de agosto de 2016

Nem deuses, nem astronautas. Pelo contrário

Por José Carlos Sá

“Nem deuses, nem astronautas” (1973) é o título de um livro de R. Fiebcaist, em resposta ao “best seller” “Eram os deus astronautas?” (1969), de Erich Von Däniken, que fez o maior sucesso na mudança das décadas de 1960 para 70, em plena corrida espacial. defendia a teoria de que visitantes extraterrestres estiveram na Terra inspirando as civilizações dos Incas, Egípcios, Maias, Mesopotâmios, entre outros, que ainda repercute até hoje. Fiebcaist se propôs a derrubar a tese, que ele dizia não ter nada de científica.

A origem - Blog da Amazônia, do Altino Machado

A origem – Blog da Amazônia, do Altino Machado

Faço essa apresentação para comentar algumas descobertas em Rondônia, que tentam nos colocar, pelo menos, na  periferia da civilização Inca, que dominou grande parte da América do Sul até a chegada os europeus, especialmente os espanhóis, a partir do final do século  XV.

As lendárias minas de Urucumacuã vivem na imaginação de pesquisadores e aventureiros. Outros “sinais” são encontrados aqui e acolá, como esse “altar inca” encontrado na região de Alta Floresta do Oeste. O assunto, levantado pelo Blog da Amazônia em 2013vem (jul 2016) e volta (24 ago 2016) sem muita alteração no conteúdo e nenhuma manifestação de pesquisadores. Enquanto isso a lenda criada prospera e é difundida…

Altar INCAO descobridor da pedra furada levanta a tese de aquilo é um calendário lunar inca, porém, um amigo arqueólogo, que conhece aquele sítio, dá outra explicação: “Tem nada de Inca, não. Basicamente são bacias de polimento de material lítico. O que chama atenção é a quantidade e quase geometria entre os “buracos”, mas talvez o matacão seja excepcional e usaram muito. Naturalmente, é um sítio arqueológico, mas enquanto não encontrarem resquícios da parafernália ordinária dos povos incaicos eu não acredito que o seja.”