02 de agosto de 2016

Atrasando o tempo

Por José Carlos Sá

Se há uma coisa que não mata no Brasil é o tédio. Todo dia tem uma piada nova. Não estou contando com os efeitos colaterais das Olimpíadas (ou olimpiadas). O fato que foi noticiado na sexta-feira, mas que ficou dormente até este domingo (31/07), foi a determinação do ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, que exigiu um aparelho de fax no gabinete dele. Assessores precisaram recorrer a antiquários em Brasília para conseguir um aparelho…

Não demorou muito para que lembrassem que até há pouco tempo “passar um fax” uma forma metafórica de avisar que iria à “casinha” ou ao escritório do Wanderlei Cardoso e outras milhares de bobagens…

Sarneyzinho perdeu uma excelente oportunidade de ficar quietinho e ninguém se lembrar dele.