13 de junho de 2015

FALTANDO ALGUMA COISA

Por José Carlos Sá

Placas apagadas

Placas sem conservação (Fotos JCarlos)

Passamos o feriado de Corpus Christi na cidade de Chapada dos Guimarães – MT. Fomos com muitas expectativas de encontrar uma cidade preparada para os turistas, já que é um dos destinos mais procurados por quem gosta de natureza.

Os atrativos são mesmo bonitos. Vale a pena o esforço (físico) para chegar aos mirantes, cachoeiras e cavernas, o que atrapalha é a falta de informações e de sinalização, o que obriga o turista a contratar um guia ou um pacote nas agências. Mar e eu, que gostamos de descobrir os pontos sobre os quais lemos nos saites de viagens, tivemos alguma dificuldade, pois as placas são esparsas e mal conservadas.

Buscamos o Centro de Atendimento ao Turista da Prefeitura, que lá se chama Centro de Atendimento Empresarial. Ao entrar, a funcionária respondeu assim o meu bom dia, no falar mato-grossense rápido, encadeando uma frase à outra:

– Bom dia..

– Qual o nome do senhor?

– José Carlos

– Seu José Carlos, nós não temos nenhum papel, nenhum mapa. Os locais que o senhor pode ir sem guia são o Mirante Geodésico e a Cachoeira da Marta, saindo por esta estrada (apontou para fora); indo para Cuiabá, o senhor encontrará a Cachoeira Véu de Noiva…

– Mas…

– O senhor pode ir na outra quadra (apontou em outra direção), na agência de turismo, lá tem mapas e o senhor pode contratar uma guia…

Agradeci e tentei assegurar ter entendido a direção que ela havia sugerido, mas a resposta foi que nós fôssemos até a agência e contratássemos o guia. É o que eu chamo de PPP, só que não.

(Fizemos do nosso jeito e gostamos)

Tags

#SQN Chapada dos Guimarães Mar Mato Grosso Turismo Viagens 

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*