18 de outubro de 2014

UM DEBATE ÁGUA MORNA

Por José Carlos Sá

Assisti, no estúdio à convite do Sérgio Pires, o debate entre os candidatos que disputam o segundo turno para o governo de Rondônia. No começo, os diálogos foram mais ríspidos, Confúcio chamou Expedito de “falastrão” e este comparou a velocidade com que as coisas ocorrem na administração confunciana com o piloto Rubem Barrichello (eu pediria direito de resposta).
Expedito insinuou que houve “derrame” – no sentido de muita quantidade – de gasolina distribuída no dia das eleições e Confúcio ganhou direito de resposta. Nenhuma ideia – de parte a parte – que pudesse atrair os indecisos ou fizesse alguém mudar o voto.
De ideias, mesmo, quase nada. Expedito disse que precisa distribuir calcário para os agricultores e criar uma rede de armazenagem regional. Confúcio propoe a desburocratização para a criação de micro e pequenas empresas. De passagem, criticou o Sebae: “O Sebrae está pisando na bola, não atende ninguém, está sob intervenção”. E, para mim, foi só isso. (Fotos JCarlos)

T
Torcidas juntas e misturadas
Expedito e a esposa Val chegam na TV Candeláriac
Confúcio dá entrevista para a Rádio Parecis. Sérgio Pires “pesca” informações para a coluna dele
Candidato percorre auditório cumprimentando a todos
Início do debate. Nervos à flor da pele
Pelo 3º bloco, os candidatos já estavam mais calmos
 Após o debate, o rescaldo…
… e mais uma chance de falar ao eleitor