23 de julho de 2014

#PRESTÍGIO

Por José Carlos Sá

Estava na praça da Estrada de Ferro-Madeira-Mamoré, com um visitante mostrando onde tudo começou. Primeiro fui reconhecido pelo presidente da Fundação Cultura (não era Iaripuna?) Cristian Camurça, que veio pedir que asuzina de Santo Antônio patrocinem a repintura dos galpões (dentro e fora), a rotunda e oficinas. Também quer que seja apoiada a limpeza dos trilhos e que se coloque em funcionamento uma das locomotivas, entre a estação central e o Mercado do Peixe, no Cai N’Água, no dia 2 de outubro, aniversário de Porto Velho, quando são comemorados 100 anos da capital rondoniense.
Na saída parei o carro para fazer a conversão na avenida Farquhar. Um guardinha da Semtran estava de costas e, ao se virar, olhou para mim e fez continência. Eu, hein? (Foto JCarlos)