24 de janeiro de 2013

DO PASSADO

Por José Carlos Sá

Em 2004 eu prestava serviços de assessoria de Imprensa ao Projeto Madeira, formado pelo consórcio Furnas-Odebrecht para a realização de estudos que resultaram nas construções dasuzinas de Santo Antônio e Jirau. Em uma das reuniões de pauta, realizada na sede de Furnas no Rio de Janeiro, propus e foi aceita a realização de uma série de matérias sobre cada tema que era estudado, como Ictiofauna (peixes), Limnologia (qualidade da água), Sondagem (para conhecer os tipos de solo), entre outros.
Comecei acompanhando a equipe de Topografia, que ia realizar o reconhecimento de uma região onde hoje foram construídos os escritórios, alojamentos, cozinha e refeitórios da UHE Santo Antônio, na margem esquerda do rio Madeira.
Atravessamos o rio em voadeiras e começamos a andar no mato, contornando a região hoje chamada de “igapó”, que era uma grande área permanentemente alagada e que possuía muitos jacarés, cobras e outros bichos. As fotos são de 08 de novembro de 2004.

 A equipe
 Esta pinguela até que era larga, em comparação a outras
 Trabalho pesado
 Com o pé na lama
 A cobra apareceu na frente do mateiro
E jaoera
O que restou de mim, com o Zedequias, chefe da equipe de Topografia  
(Fotos JCarlos e Marco  Antônio Pinto)

Tags

Asuzina de Santo Antônio Furnas igapó Jirau Odebrecht 

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*