31 de julho de 2012

O NOVO

Por José Carlos Sá

O “porto” do Cai N’Água apareceu espontaneamente, como muita coisa acontece em Porto Velho. Aqui abrem-se ruas, formam-se bairros e, só muito depois, a administração pública corre atrás do prejuízo. O Cai N’Água foi assim também. Os ribeirinhos chegavam com sua produção e ancoravam pouco acima do porto oficial, que era o da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.
Como não podia deixar de ser, toda uma “estrutura portuária” informal se ergueu ao lado da antiga “serraria do Território”. E esta estrutura de apoio inclui vendedores de mantimentos, combustíveis, cachaça, sexo e drogas. Com a inauguração da Hidroviária, que aconteceu ontem com direito a transmissão ao vivo pela Rede TV-RO, espera-se que o local vá se modificando para melhor, claro. Aliás, o secretário da Sempre, professor Israel Xavier, considerou o Cai N’Água o “lugar mais belo de Porto Velho”. Eraste!
Algumas fotos recentes do local: (Fotos Marcela Ximenes e JCarlos)

A chaminé, ligada à caldeira, foi o que sobrou da serraria do Território. Atrás, o Mercado do Peixe
 Flutuante “típico” do Cai N’Água
Situação pré-inauguração do Terminal Hidroviário
 Ponte flutuante de acesso ao atracadouro
O desenho geométrico da rampa

Tags

Cai N'Água EFMM Rede TV 

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*