26 de julho de 2012

CABEÇAS DE MINHOCA

Por José Carlos Sá

Guaporeanos e rondonianos, em sua expressiva maioria, são gente boa. Para confirmar a regra, tem sempre aqueles “minhocas” (filhos da terra) que se incomodam se eles não participam de alguma coisa ligada à história da cidade. A Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, se depender deles, dificilmente será Patrimônio da Humanidade. É inconcebível dividir a ferrovia DELES com o resto do mundo.
Nestes anos em que vivo aqui, já soube e presenciei diversas escaramuças entre estes grupos que se acham donos da ferrovia. Se um dos grupos está, ocasionalmente, no poder municipal ou estadual, com atividades ligadas à Madeira-Mamoré, os demais grupos se colocam em oposição e sabotam literal e figurativamente os projetos.
O exemplo mais recente são os preparativos para as comemorações do Centenário da EFMM. Não é que um grupo foi ao MP denunciar aqueles que estão fazendo a manutenção das locomotivas para a festa?
É muita mesquinharia. O assunto a que me refiro está publicado no G1-Rondônia.

 O trabalho parado dia 24…
 … por força da inveja (Fotos Marcela Ximenes)

 Serviço retomado, conduzido pelos ex-ferroviários. Quem melhor que eles pode fazer isso?
(Fotos Cléris Muniz/ Imagem News)

Tags

centenário Cutubas e Peles Curtas EFMM Leseiras Porto Velho Rondônia 

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*