15 de fevereiro de 2010

FRAUDE REPELENTÍCIA

Por Marcela Ximenes

Tenho o “sangue doce” para mosquitos. Estamos agora no bar do Rancho Grande e antes de sair do quarto tomei banho de repelente. Zécarlos e João Pedro disseram que não era necessário. Pois bem, estou eu aqui “protegida” e cheia de calombos e os dois, sem um pingo de repelente, não levaram uma única ferradinha.
Além do incômodo das ferradas e da aborrecida coceira há ainda a frustação. O tal repelente que estou usando foi o Zécarlos que me deu afirmando que é usado pelo exército dos Estados Unidos e que tem duração de 10 horas. Isso não é um repelente, é um atraente. Maior fraude. Vou ali em Cacaulândia comprar um menos metido a besta, mas que funcione.  (Foto Marcela Ximenes)

Tags

Rancho Grande Viagens 

Compartilhar

Comentários

  • É, como eu disse, uma fraude! A gente se prepara para enfrentar as poucas coisas desagráveis da natureza com os produtos que dizem ser a "armadura" para tal e aí… toma-lhe mosquitos!

  • Pois acredita que passei pelo mesmo? Comprei um repelente metido a besta que atraiu tudo que se pode imaginar, fui mais picada que todos os outros dias que não usei. Fomos vítimas do mesmo engodo. rsrs…abraços.

  • Amigos, eu estava curtindo o passeio junto com voces, até agora, mas com aranha, onça, mosquitos e etc. "tou fora". Estou curtindo as fotos, favor postar mais. Beijinhos com gosto de pupunha.
    PS. Nem estou com inveja, minha irma trouxe um cacho enooorme, comi até matar a saudade (e fiquei com dor de barriga, ai, ai).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*