25 de novembro de 2009

RODA DURA

Por José Carlos Sá

Quando alguém dirigia mal em Beagá, dizíamos que era “roda dura”, “roda de pau” ou “roda quadrada”, em oposição ao bom motorista, que era o “roda federal”.
Não sei em qual das (primeiras) categorias enquadrar o motorista de uma kombi do município, de placas com final 28 que hoje, por volta das 13hs45, entrou na Vieira Caúla do jeito que veio de uma das ruas do Jardim das Mangueiras II. Eu seria a possível vítima, mas vi a imprudência e comecei a frear. A mesma sorte não teve o motociclista que me ultrapassava pela direita. Quase entrou – literalmente – na kombi, que trafegava com a porta aberta.
Alcancei o motorista imprudente, dei um toque na buzina e apontei para os meus olhos e depois para ele. O cara reduziu a velocidade e ficou para trás. No sinal da Rio Madeira, foi se esgueirando pela direita, em meio as motos. Quando o sinal abriu, catapultou-se para frente e foi trocando de pista, da direita para esquerda e vice-versa, até entrar em uma das ruas transversais.
Bom exemplo… Depois culpam asuzina!

Tags

Asuzina caos no trânsito 

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*