18 de fevereiro de 2009

MUSEU DA FERROVIA

Por José Carlos Sá

Como diz o Paulo Vanzolini, “alguma coisa acontece no meu coração…”. Comentei aqui que um pepino envolvendo a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré está para vir à luz. Ontem, um amigo sentiu o cheiro de fumaça e foi atrás do fogo. Ele não conseguiu chegar nsm perto do galpão da extinta EFMM, que hoje está sob o poder e a guarda da Marinha e onde está depositado o “acervo” daquele que em vida se chamou “Museu da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré”. A Fundação Iaripuna não permitiu a visita e a matéria, contando isso que estou repassando, foi cancelada por interveniência do anunciante no veículo onde se anuncia. Se é que me entendem…

Tags

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*