24 de dezembro de 2008

MORTOS À PEDRADAS

Por José Carlos Sá

Nada como o jornalismo investigativo. Eu sempre critiquei coleguinhas da Imprensa caripuna pelas ilações nascidas ao redor de copos de chopps ou na falta de imaginação na solidão das mesas de redações, por isso tenho que dar o braço a torcer. As 11 toneladas de peixes que morreram – morreram, não: feneceram – na cachoeira de Santo Antônio, foram vítimas de pedradas. Quem descobriu a fatídica manobra foi o saite Destaque Rondônia, no maior furo de reportagem que se tem notícias por estas bandas do Brasil. Vejam o texto esclarecedor, desmistificador, oportuno e altamente elucidativo, para não dizer que estou exagerando. Perdão Rubinho, perdão Zacarias, mas vocês estão por fora.
O redator (lá deles) deverá ser convidado a dar depoimento na futura CPI do Santo Antônio. Vou repetir a foto, para o brog não perder a vez… (Foto Simão Laurindo/Destaque Rondônia)
Ixi, já ia esquecendo. A foto que ilustra a matéria, no saite, tem pedras supostamente implodidas. Outra farsa do (?) Mesa. Dizem que explodem, mas a pedra tá lá, bonitona, para quem quiser ver. Não tô entendendo mais nada. Será que colocaram alguma coisa na minha vodca?

Tags

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*