18 de outubro de 2008

COBERTURA DO SEQÜESTRO

Por José Carlos Sá

A cobertura do desfecho do sequestro em Santo André mostrou – especialmente nas transmissões ao vivo – que repórteres e apresentadores deixaram as próprias emoções falarem mais alto. Na entrevista coletiva dada pelo comandante da operação, as perguntas eram agressivas. A melhor análise deste episódio, olhando a atuação da Imprensa, encontrei no blog Chongas, do Flavio Lamenza, que reproduzo abaixo, suprimindo apenas os espaços duplos entre as linhas:
“Eu fico sem palavras… Acabou de dar na Globo no Plantão Notícias, sobre o seqüestro em São Paulo. Aqui tem a notícia da Globo do fim do sequestro.
Acabei de ver a notícia. O GATE entrou com bomba, e tiros.
(silêncio)
A repórter da Globo faz a cobertura ao vivo como se estivesse chorando… Não sabe nem o que falar…
(momento tenso)
Sai uma maca com a Eloá baleada, a repórter não sabe se chora ou se dá a notícia.
Sai o sequestrador Lindemberg andando com os policiais.
(pausa, momento de tensão…)
Sai a Nayara andando e vai direto para a maca, também está baleada.
Na chegada do hospital, as duas meninas vão para a emergência cobertas de sangue e seqüestrador para a delegacia, limpo.
Acaba de dar a notícia que as duas meninas de 15 anos, 15 ANOS!! estão gravemente feridas na cabeça…”

Tags

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*