19 de agosto de 2008

CAYMMI

Por José Carlos Sá

A análise mais bonita que vi sobre a obra deixada por Dorival Caymmi está em um artigo do Luiz Antônio de Moura Freire, publicado no blog do Noblat, assim: “(…) ‘O mar quando chega na praia, é bonito, é bonito’. Há aí aquela linha tênue que separa o banal, o corriqueiro da expressão pura e ingenua do autóctone”.

Tags

Compartilhar

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*