29 de outubro de 2014

DO PASSADO

Por José Carlos Sá

Lendo a nota da Assembleia Legislativa, lamentando o falecimento do ex-deputado Augusto Sérgio Carminato, lembrei-me que estávamos em plena campanha pela eleição de Jerônimo Santana para o governo de Rondônia. Em Colorado do Oeste houve um problema qualquer entre o então governador Ângelo Angelin e o deputado estadual Sérgio Carminato, “dono” daquela região eleitoral. Pelo que eu soube, a discussão foi tão intensa que Carminato passou mal.
Mais tarde, à noite, o comício seria na vizinha cidade de Cerejeiras, a 39 quilômetros de Colorado do Oeste, para onde fomos. Chegamos ao final da tarde (Comunicação e Cerimonial) e sentimos um clima tenso. No hotel, ficamos aguardando a hora do comício. Um ou outro da equipe saia para beber um refrigerante ou uma cachaça e voltava com a mesma impressão de que algo ia acontecer.
Perto da hora do comício, alguém da segurança do governador ou do candidato Jerônimo Santana, passou pelo hotel desaconselhando que fôssemos ao comício: “A P2 detectou que haverá provocações e tumultos. Se eu fosse vocês ficava aqui mesmo”.
No dia seguinte soubemos que várias pessoas levando sacolas com ovos – que seriam atirados no palanque – foram interceptadas pelos policiais infiltrados na multidão e os ovos devidamente inutilizados. Consta, no folclore sobre aquela noite, que um ovo foi jogado na direção da cabeça do governador Angelin, mas o ajudante de ordens o (então) tenente Vieira o interceptou com a mão, pouco antes de atingir o alvo. (Foto escaneada do livro “Pioneiros – Ocupação Humana e Trajetória Política de Rondônia” – Francisco Matias – Editora Maia -1998)