12 de abril de 2010

FALANDO EM TALASSEMIA

Por Marcela Ximenes

O Fábio define com clareza o que é talassemia. Até bem pouco tempo atrás, cerca de 12 anos, não sabíamos muito bem o que era essa doença que deixava nossos pais tristes e preocupados com o nosso futuro. Não era apenas nós que não entendíamos nada sobre esse tipo de anemia, os médicos – ah, os médicos – esses que não sabiam nada mesmo.
No começo dos anos 80 fomos para Campo Grande (MS) em busca de tratamento. Nada. “Não tem cura” é só o que nossos pais ouviam dos profissionais. Das pessoas que nos viam era: dêem mais feijão para essas crianças, suco de beterraba e por aí.
Lendo o post “Definindo” talassemia lembrei-me das muitas explicações ouvidas sobre a talassemia em quase 30 anos. O caso citado pelo Fábio é amenizado pelo fato de ser teoria em um livro, pior foram os médicos que praticaram tudo o que não deveriam por desconhecerem essa doença. Alguns ditos hematologistas aqui de Porto Velho brincaram – e continuam brincando- de fazer medicina, esquecendo que quem está do outro lado não é de borracha. Nossas duas irmãs não eram.