30 de abril de 2020

Pandemia de desonestidade

Por José Carlos Sá

O governador disse que não entendia como o fato aconteceu. Nem eu (Charge Ricardo Manhães/ND)

Fico impressionado com as pessoas que aproveitam a grave crise que estamos atravessando para roubar. Pelo menos em três estados, desonestidades foram denunciadas.

Em Santa Catarina, a Assembleia aprovou a abertura de uma CPI para apurar em que circunstância o Governo do Estado pagou adiantado por 200 respiradores e não recebeu nenhum.

Trabalhei dez anos no serviço público e nunca ouvi falar que era possível liberar um pagamento antes do que foi comprado dar entrada no almoxarifado. Aqui, pagaram 33 milhões adiantados para uma empresa que fica em Nilópolis – RJ, sem comprovação que poderia cumprir o que se propunha. Uma funcionária foi afastada…

Colaram um adesivo sobre um monitor simples (Foto Prefeitura de Rondonópolis)

Em Rondonópolis – MT, a prefeitura comprou 22 respiradores mecânicos para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) e pagou quatro milhões. Quando o equipamento foi entregue, os médicos constataram que os respiradouros eram falsificados.

No Amapá, a Polícia Federal realizou a operação Virus Infectio para investigar superfaturamento na aquisição de equipamentos de proteção individual para ações de combate ao coronavírus. Os recursos são do Fundo Estadual de Saúde e as compras foram feitas com dispensa de licitação.

Tags

Amapá Coronavírus Mato Grosso Polícia Federal Rondonópolis Santa Catarina 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*