26 de abril de 2020

É proibido palavrão em casa!

Por José Carlos Sá

#@%$!&#$£!(¢(!@*

Quando éramos crianças, era proibido xingar palavrão lá em casa. O máximo tolerado eram os xingamentos *osta e *erda. E nenhum de nós três desafiávamos os mandamentos maternos.

Nosso pai às vezes – quando dava uma martelada no dedo, por exemplo – dizia “desgraça!” ou “miséria!”. Imediatamente mãe falava para não repetirmos, pois atrairíamos o mau para dentro de casa.

Muitos anos depois, durante um almoço, a caçula Rosa – não me recordo a razão – soltou um “Não enche o saco!”.

Silêncio entre os irmãos mais velhos. Todos esperavam a reação dos pais.

Mas ficamos frustrados, pois não aconteceu nada. Nem mesmo um “vou lavar a sua boca com sabão”, como mãe costumava nos ameaçar…

Tags

D. Nilta José Carlos de Sá Lúcia Maria Rosa Emília 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*