27 de fevereiro de 2020

Rodovia da imprudência

Por José Carlos Sá

Ilustra: Arquivo – Cartum de Ricardo Manhães – ND+ (29102019)

É muito comum, após um acidente rodoviário, os comentaristas atribuírem às rodovias a causa das mortes ocorridas naquelas vias. Em alguns casos, se justificam a culpa, pelo estado físico das estradas, seja pela existência de buracos ou falta de sinalização. Mas, na maioria dos casos, é a imprudência a causa dos acidentes.

A BR-282, que tem a extensão de 680 quilômetros ligando o litoral ao extremo oeste de Santa Catarina, teve 1.432 ocorrências em 2019 – a maioria dos acidentes ocorreu em dias de céu claro -, tendo sido registradas 100 mortes. As informações são da base de dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Ainda segundo os dados da PRF, em 2018 houve 107 mortes na BR-282 e em 2017 foram 93 acidentes fatais. Entre 2007 e 2018 foram registradas 1.459 mortes na 282.

Seqüência de ultrapassagem em local proibido (Fotos Marcela Ximenes/23092018)

Viajando por diversas rodovias do país, sempre flagramos (e desviamos) de ultrapassagens em locais proibidos, como em curvas e lombadas. Mas os caras insistem e quanto maior o veículo, maior a irresponsabilidade.

Nos 3.450 quilômetros que rodamos de Porto Velho a São José da Terra Firme – passando por seis estados, o mesmo comportamento de desrespeito à lei se repete.

Tags

BR-282 Estradas Porto Velho Rodovias São José da Terra Firme Trânsito 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*