23 de fevereiro de 2020

A Ciça do Pato

Por José Carlos Sá

Ciça já falava do “excludente de ilicitude” há quase 40 anos. Ê Brasil! (Reprodução GGN)

Essa tira é da década de 1980 e continua atual (Reprodução Folha S. Paulo)

Cecília Alves Pinto, a Ciça, ficou conhecida nas décadas de 1960 a 1980, através das charges que publicava diariamente na Folha de S. Paulo e, depois também, semanalmente no Pasquim. As personagens das tiras dela eram um pato, umas galinhas e as indefectíveis formigas. O mundo das aves e dos insetos refletem nosso mundo. Ciça falava de política sem ser incomodada pelos militares durante o regime que durou de 1964 a 1985. “Talvez os militares não se sentissem à vontade para assumir a identificação pública com um inseto insignificante”, avalia, em entrevista especial à sessão Folha 100 anos, publicada hoje (23/02).

Livro sobre a infância de Rondon (Reprodução Gente de Opinião)

Depois que parou de desenhar, Ciça se dedicou aos livros infantis, junto com o marido Zélio e o cunhado Ziraldo, ambos cartunistas e ilustradores. Dessa obra destaco “Rondon Menino Cândido”, em parceria com Ziraldo, cujo lançamento em Porto Velho eu tive a honra de ser um dos coordenadores.

Tags

Ciça Folha de S. Paulo Pasquim Porto Velho Rondon Zélio Ziraldo 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*