15 de dezembro de 2019

Improvisando o natal

Por José Carlos Sá

Essa foto é só para lembrar como era. As nossas árvores tinham mais galhos e mais bolas coloridas (Foto Toca Decorações/Divulgação)

Na casa da nossa família, a árvore de natal recebia uma atenção especial a partir de novembro. Íamos, com mãe, buscar um galho seco (se não era encontrado, um verde servia), que era desfolhado e tirados alguns ramos. A cada ano mãe mudava alguma coisa. Uma vez o galho era pintado de dourado; no outro ano prateado; teve ano que o galho foi envernizado.

Uma vez gastamos uma caixa de algodão envolvendo os ramos, para imitar neve. A maior invenção e que deu mais trabalho, foi quando mãe passou cola na “árvore” e nos jogamos flocos de isopor. Essa árvore foi inesquecível, pois encontramos flocos de isopor no ano seguinte todo, em todos os cômodos da casa.

Fomos ter árvore comprada em loja muito mais tarde, mas aí não tinha mais graça…

Tags

Belo Horizonte Contagem Família Sá 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*