07 de setembro de 2019

Culto à senha

Por José Carlos Sá

Sem retirar a senha você não é atendido nem pelo feirante (Foto Google)

Talvez por causa da temporada de verão, quando vêm ‘milhares’ de turistas para Santa Catarina, todos os estabelecimentos comerciais – seja farmácia, loja de material de construção, padaria ou açougue – têm um dispensador de senhas.

Nós moramos em um bairro novo, onde ainda não há entrega de correspondências em domicílio, por isso precisei ir aos Correios retirar um documento enviado via postal.

Depois de procurar (muito) um local para estacionar, me dirigi à agência onde não havia ninguém sendo atendido e três guichês com os funcionários conversando entre si. Me dirigi à primeira funcionária, que estava mais perto da porta. Antes que eu chegasse ao balcão ela disse: “Senhor, é preciso retirar a senha”. Eu perguntei onde, pois não tinha visto nenhum dispositivo para este fim. “Atrás do cartaz”.

Voltei, e só de chato, apertei o botão da senha preferencial. Antes da máquina expelir o papel, o meu número já estava no painel.

Me lembrei de quando liguei para o Sebrae-RO em busca do amigo Desóstenes Nascimento. A telefonista pediu o número do meu CPF, o nome da minha mãe, se eu era batizado, que fé eu professava e etc., para depois dizer que não poderia me informar o telefone dele.

Tags

Correios Desóstenes Nascimento Santa Catarina Sebrae-RO Senha 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*