01 de setembro de 2019

Resgatando memórias

Por José Carlos Sá

Morei no município de Contagem – MG de 1971 a 1986. Antes morávamos em Belo Horizonte em casas alugadas, numa maratona de mudanças. Depois nosso pai comprou uma casa da Cohab no residencial Costa e Silva, perto da estação ferroviária de Bernardo Monteiro, que hoje dá nome a toda a região, mesmo tendo diversos bairros. Fui neste final de agosto visitar minha mãe e, com tempo livre, tive a oportunidade de saber mais sobre o local, do que no tempo em que residi lá – até porque eu trabalhava em Belo Horizonte ou Lagoa Santa e só ia em casa para dormir…

A cidade de Contagem comemorou 108 anos no dia 30 de agosto. Com 663.855 habitantes, o município se destaca pelas indústrias ali instaladas. Já foi considerada cidade-dormitório de Belo Horizonte, mas hoje tem vida e dinâmica próprias. A origem da cidade foi a Fazenda das Abóboras, o que fazíamos piada, chamando a cidade de Contagem das Abóboras.

Já a Estação Bernardo Monteiro foi construída e inaugurada em 29 de agosto de 1901 (só soube agora), chamada Lagoa Seca, quando o povoado de Contagem pertencia ao município de Sabará. Quando mudamos para lá, era a principal alternativa de transporte para ir à capital: o trem de passageiros “subúrbio”, da Rede Ferroviária Federal. As outras opções eram uma linha de ônibus que ia até a Cidade Industrial, de lá se pegava outra condução para Beagá e uma linha chamada “Contagem via Bernardo Monteiro”, que passava de vez em quando.

Uma iniciativa de moradores, tendo na liderança o professor Ailson Leite, conseguiu a restauração do prédio da estação, que será transformado em um centro cultural, enquanto outro sonho não se realiza que é a volta do trem de passageiros. O trem subúrbio foi desativado há 30 anos, quando o prédio da estação ficou abandonado.

Também me causou tristeza ver a situação em que se apresenta a igreja consagrada à Imaculada Conceição (meus três filhos foram batizados lá), que apresenta rachaduras na parte frontal e ainda não há recursos suficientes para restaurá-la, segundo me informou o presidente da Associação de Moradores de Bernardo Monteiro, Ronaldo Paulo da Silva.

O centenário prédio da estação ficou abandonado por 30 anos (Foto Ailson Leite)

Quando restaurado se tornará um centro cultural (Foto Ailson Leite)

As obras de restauração já estão acontecendo (Fotos JCarlos 26082019)

A igreja consagrada à Imaculada Conceição também está abandonada e pode desabar (Foto JCarlos 26082019)

Prédio sede da Associação de Moradores de Bernardo Monteiro imita a antiga estação (Foto JCarlos 26082019)

Tags

Bernardo Monteiro Contagem Igreja Imaculada Conceição RFFSA Sabará 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*