12 de abril de 2019

Bebendo veneno

Por José Carlos Sá

Estamos bebendo agrotóxicos diluídos na água(Ilustra AmbienteBrasil)

Uma matéria da Deutsche Welle, reproduzida pelo site Ambiente Brasil, informa que o Ministério da Agricultura liberou mais 31 novos agrotóxicos, destes 16 são considerados muito perigosos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa. Nos 100 primeiros dias do governo Bolsonaro já foram liberados 322 agrotóxicos.

Aqui, em Santa Catarina, a pedido do Ministério Público, foram feitas análises da água que chega às torneiras das casas de 100 cidades catarinenses e se chegou à preocupante conclusão de que em 22 municípios a água distribuída à população tem resquícios de pesticidas.

Me lembrei que durante a nossa viagem Porto Velho – São José da Terra Firme, ouvíamos na rádio entrevista da recém-empossada ministra da Agricultura Tereza Cristina (deve ter sido dia 2 ou 3 de janeiro de 2019). Ela defendia que não se usasse mais o termo “agrotóxico”, mas sim “defensivo agrícola”. A resposta da Marcela à ministra foi falar em voz alta: “Veneno, veneno, veneno!”