23 de dezembro de 2018

Enxugando gelo – II

Por José Carlos Sá

Outra ação policial para retirar os garimpeiros que trabalhavam no rio Madeira, de que participei foi em outubro de 1987. O repórter-fotográfico Rosinaldo Machado chegou na Decom todo alvoroçado. Estava havendo uma operação para retirada de balsas de garimpo no rio Madeira e chamou-me para ir com ele até o bairro dos Milagres (travessia da Balsa).  Ao chegarmos encontramos uma verdadeira operação de guerra: no barranco, centenas de militares em uniforme de campanha da 17ª Brigada de Infantaria de Selva e policiais civis; nas águas do rio Madeira, barcos velozes da Marinha contendo Fuzileiros Navais.

Já havia dezenas de garimpeiros detidos, sentados no chão com as cabeças baixas e soldados armados com fuzis FAL, de sentinela. Identifiquei o comandante da operação, general de Brigada João Saraiva de Castro, e fui conversar com ele. Depois fiquei por ali tentando falar com um dos detidos. Um jovem tenente, muito imbuído de suas funções, ameaçou-me duas vezes de prisão, se eu insistisse em entrevistar os presos. Resolvi ir embora. Mais tarde, recebi uma ligação de um repórter do jornal Estado S. Paulo e passei as informações. A nota saiu no jornalão na edição de 20 de outubro de 2015:

Nota publicada pelo Estadão de São Paulo, com informações que repassei (20/10/1987)