09 de maio de 2018

Toca para os Correios!

Por José Carlos Sá

Sede dos Correos em La Paz (Foto José Lavayén/La Razón)

Já contei aqui que o meu portunhol é um pouco abaixo do nível daquele falado pelo ex-presidente Fernando Collor (“Duela a quién duela”) e da ex-presidente Dilma Rousseff. Em 2000 fui encarregado de representar o Governo de Rondônia em um evento promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Bolívia, em La Paz.

A minha mala extraviou e fiquei só com a roupa do corpo em um frio de dois graus que fazia em El Alto, onde está o aeroporto da capital boliviana. Fomos para o hotel e pela manhã entrei em contato com a secretária da Câmara que ligou para a VASP, mas não encontraram a mala. Resolvi ir no comércio para comprar um paletó, gravata e camisa, pois o evento exigia traje formal.

Lembrei que havia uma rua com muitas lojas perto da sede dos Correios, onde eu estive cinco anos antes. Coloquei meu passaporte em um envelope, embarquei em um taxi na porta do hotel e solicitei ao motorista: Por favor, quero ir ao Correio

– ¡No entiendo!

– Correio, correio…

No, no…

Aí mostrei o envelope para ele e repeti: Correio!

–  ¡Ah!  ¡Correo!

– É a mesma coisa!

Tags

Bolívia Governo de Rondônia 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*