08 de abril de 2018

Colocando o pagode no mapa da poluição sonora

Por José Carlos Sá

Li e acredito que a Prefeitura de Porto Velho vai elaborar uma “Carta Acústica do Município“, levantando “os ruídos com os quais as pessoas convivem diariamente e o que pode ser feito para reduzir o índice de poluição sonora. A iniciativa tem como modelo a experiência realizada em Fortaleza – CE.

Já contei no brog (aqui, aqui também e sem esquecer este) que temos uns vizinhos pagodeiros, que, às vezes, emendam dias e noites tocando os mesmos cds. Não sei se sobreviveremos até o “Mapa da Poluição” ficar pronto.

Numa contribuição ao bem estar comum, o Banzeiros faz as seguintes sugestões à Prefeitura:

Distribuição de fones individuais para os convidados de festas de pagode. Assim, podem colocar o volume até no talo!

Ou distribuir box com um repertório novo/diferente daquele que tocam habitualmente

Se nada disso for possível, distribuir protetores auriculares aos vizinhos dos pagodeiros…

Espero que, não só o pagode, mas outros ritmos musicais executados acima do tolerável sejam enquadrados na lei da poluição sonora.

Tags

Pagode Poluição sonora Prefeitura de Porto Velho 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*