27 de dezembro de 2017

Com tanta coisa para fazer…

Por José Carlos Sá

O projeto da bandeira do Império é do francês Jean-Baptiste Debret. A outra “bandeira” é do Lebrão

Servindo de chacota, a lei aprovada pela Assembleia Legislativa de Rondônia, com a derrubada do veto imposto pelo governador Confúcio Moura, vai causar prejuízo aos cofres estaduais. É que no dia 18 de dezembro os deputados aprovaram a lei proposta pelo deputado Lebrão (PMDB-São Francisco do Guaporé) que obriga toda rede de ensino, público e privado, a hastear diariamente a bandeira Nacional, a do Estado e a bandeira Imperial e alunos e professores devem cantar o Hino à Independência. A justificativa do iluminado deputado é que em 2022 será comemorado o segundo centenário da independência do Brasil de Portugal. Brilhante.

O prejuízo a que me refiro acima é porque o Estado de Rondônia vai recorrer contra a decisão através de uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADIN).

Perder tempo com leseira deve ser uma das atribuições dos nobres legisladores.