08 de agosto de 2017

Até que enfim!

Por José Carlos Sá

(Foto Condecom/PMPV)

Leio que já tem data marcada para que sejam retirados os invasores dos prédios do conjunto Cuniã I, inacabados que começaram a ser construídos na rua José Vieira Caúla, no bairro Cuniã. A Prefeitura de Porto Velho vai cumprir determinação judicial para retirar as 67 famílias remanescentes da invasão iniciada em 2012 em um projeto do Minha Casa, Minha Vida, quando mais uma obra da administração Roberto Sobrinho parou. As outras paralisadas que me recordo, um conjunto habitacional na rua Três e Meio e os abençoados viadutos. Uma parte dos invasores foi retirada em passado recente, numa reintegração de posse, pois uma parte do terreno pertenceria a uma associação esportiva.

Com certeza há muitas famílias que não têm opção de moradia e se sujeitava a morar em um local completamente insalubre e com ameaças de desabar. Os fornecimentos de água e energia são através de “gatos”, o que aumenta o risco de incêndios, já que muitos “apartamentos” dispõem de aparelhos de ar condicionado, sobrecarregando a rede elétrica clandestina.

Por outro lado, o local serve de abrigo para traficantes de drogas e foragidos da Justiça. Nas imediações desses prédios são frequentas as ocorrências policiais, inclusive com mortes.