03 de julho de 2017

Pesar

Por José Carlos Sá

Lamento o falecimento do ex-governador Ângelo Angelin (mandato de 1985 a 1987), ocorrido no final da tarde de hoje (3) em Cuiabá – MT, onde estava internado após uma cirurgia. A causa do falecimento, segundo a Folha do Sul, de Vilhena onde vivia o professor Angelin, foi uma infecção generalizada.

A minha vinda para Rondônia, agradeço ao governador Angelin. Acompanhei mais da metade do governo dele e  testemunhei os inúmeros projetos que foram levados a Brasília e iniciaram a tramitação nos Ministérios, ficando para o sucessor dele, governador Jerônimo Santana ir buscar os recursos e aplicá-los. Dou como exemplo o Planaforo. O projeto passou por todas as instâncias brasileiras e seguiu para o Banco Mundial, onde finalmente foi aprovado e vieram US$ 167 milhões para aplicação no zoneamento socioeconômico ecológico do Estado. Se não deu certo é outra história.

Na semana passada quando os Dinossauros discutiam no Papo de Redação sobre quem deverá ocupar o cargo de prefeito na ausência do titular Hildon Chaves, lembrei que como governador nomeado, Angelin tinha como vice o presidente da Assembleia Legislativa, então o deputado Amizael Silva. Pois Angelin não foi a Washington apresentar o projeto do Planafloro para não deixar Amizael ser o governador interino. Tenho outras histórias, um dia eu conto.