16 de maio de 2017

Querem um cadáver?

Por José Carlos Sá

Ex-ministro Joaquim Barbosa (Foto José Cruz/ABR)

Ex-ministro Joaquim Barbosa (Foto José Cruz/ABR)

Até há pouco tempo o STF era uma entidade meio mítica, como o Banco Central também era. Você sabia que existia, mas não sabia muita coisa sobre a instituição. Talvez tenha sido o ex-ministro Joaquim Barbosa quem tenha apresentado o Supremo Tribunal para o Brasil.

Esta giga exposição está mexendo nas cabeças dos juízes. Alguns mais afetados pelos flashes e holofotes perdem a noção do papel deles como juízes supremos, como destacou recentemente o ministro Gilmar Mendes.

No caso do processo contra Eike Batista – se é verdade que a esposa do ministro trabalha na banca que defende o empresário -, sim, Gilberto Mendes deveria ter se declarado impedido para julgar ou participar do processo.

Quanto ao impedimento (impeachment) do ministro, não sei se cabe. Também acho que não coube o clima de Fla x Flu no depoimento do Lula ao juiz Sérgio Moro. Um procedimento corriqueiro chegou a ser tratado como se o ex-presidente fosse sair do Fórum algemado,  colocado no fundo de um camburão para ser levado a uma presídio de segurança máxima.

IMG_2417Se tivesse havido confronto ou até mortes na quarta-feira (10), a imprensa deveria assumir a sua culpa no acirramento dos ânimos, por ter criado uma expectativa de algo fora dos procedimentos jurídicos normais.

Era um cadáver, tudo que se queria?

(Artigo publicado no Alto Madeira – 14-15/05/2017)