09 de outubro de 2016

Fisiologismo cruzado

Por José Carlos Sá

(Foto News Rondônia)

(Foto News Rondônia)

Foi sem surpresa que li a notícia da adesão, ainda com o defunto quente, do PMDB (semi) derrotado na capital à candidatura do petebista Léo Moraes (PTB) no segundo turno. Digo sem surpresa por que no DNA do PMDB tem uma molécula chamada “fisiologismo” e os iguais andam juntos. O “(semi) derrotado” fica por conta dos três candidatos eleitos pela legenda para a Câmara Municipal.

Podiam ter feito como PT que, vendo a adesão espontânea de muitos petistas históricos ao Léo Moraes, liberaram os demais militantes para fazerem o que quiserem.

A matéria, publicada na coluna de Wanglésio Braga, tem um trecho muito interessante e que resume este meu comentário: “Antes mesmo de a reunião acabar, candidatos derrotados ao cargo de vereador bem como o próprio Pimentel e alguns membros da diretoria municipal já usavam adesivos no lado esquerdo do peito, daquele que antes eram oposição no primeiro turno, Léo Moraes.”

Tags

Eleições 2016 Fisiologismo PMDB Prefeitura de Porto Velho PTB Segundo turno 

Compartilhar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

*