09 de outubro de 2016

Fisiologismo cruzado

Por José Carlos Sá

(Foto News Rondônia)

(Foto News Rondônia)

Foi sem surpresa que li a notícia da adesão, ainda com o defunto quente, do PMDB (semi) derrotado na capital à candidatura do petebista Léo Moraes (PTB) no segundo turno. Digo sem surpresa por que no DNA do PMDB tem uma molécula chamada “fisiologismo” e os iguais andam juntos. O “(semi) derrotado” fica por conta dos três candidatos eleitos pela legenda para a Câmara Municipal.

Podiam ter feito como PT que, vendo a adesão espontânea de muitos petistas históricos ao Léo Moraes, liberaram os demais militantes para fazerem o que quiserem.

A matéria, publicada na coluna de Wanglésio Braga, tem um trecho muito interessante e que resume este meu comentário: “Antes mesmo de a reunião acabar, candidatos derrotados ao cargo de vereador bem como o próprio Pimentel e alguns membros da diretoria municipal já usavam adesivos no lado esquerdo do peito, daquele que antes eram oposição no primeiro turno, Léo Moraes.”